Resenha: UBIK – Philip K. Dick

Sinopse

Situado em um futuro onde a meia-vida – estado onde são mantidas certas funções cerebrais que tornam capaz a comunicação após a morte – e onde os seres humanos possuem alguns tipos de poderes de leitura mental e previsão do futuro, a empresa de Glen Runciter trabalha protegendo dados sigilosos de grandes corporações contra leitores de mentes infiltrados. Após um atentado planejado pela empresa antagônica Hollis, Runciter morre e todo o grupo começa a passar por um estranho processo de retrocesso, onde coisas antigas passam a substituir as novas. No lugar de TVs, rádios começam a aparecer. Elevadores elétricos se tornam hidráulicos novamente. O dinheiro passa a estranhamente ter o rosto de Rucinter estampado. Correndo contra o tempo, Joe Chip deve encontrar uma resposta para esses acontecimentos.

Considerações

Já em 1969 o Dick tinha uma visão a frente do tempo. As frases “Let’s write an ‘stant mail.” e “Great color 3-d screen.” são alguns exemplos do que se passavam na cabeça do autor. O conceito de regresso usado por ele, no qual os objetos passam não por um envelhecimento real, mas um retorno aos produtos que tinham mesma função no passado, criam um sentimento de nostalgia em nós e no personagem Joe Chip, que já possui, desde o início da história, problemas com as novas tecnologias. Em paralelo, existe uma ânsia de ubik_frente_alta1cavar a cada momento uma nova possibilidade de lucrar em cima das ações mais comuns –  tal como abrir uma porta de geladeira, a porta de casa – e as corporações e a sociedade tornaram penoso a sobrevivência para aqueles que pouco já tinha, ou que como Joe, possuíam grande problema em poupar. Toda essa angustiante situação, este futuro distópico, para o qual caminhou a humanidade na história de Dick, me parece baseado na aceleração das transformações. Estas, que antes ocorriam apenas entre diversas gerações, passaram a ocorrer durante uma vida, um século e finalmente alguns anos. Refletindo, a 40 anos atrás, uma sociedade tão acelerada quanto a nossa atual.
A desenrolar da trama é rápida e mais parece um filme. UBIK é o tipo de livro que não explica nada além do necessário para você mergulhar de cabeça na história – um tipo de escrita que me pareceu típica de Dick até o momento – Não importa a política ou como tudo ocorreu. Apenas importa o agora, a ação que está a ocorrer agora. Esta sua falta de excessos, é o que me atrai mais no escritor.

Vale a Pena?

UBIK é um livro incrível. Passei por ele em 4 dias, e ficava louco para saber o que ia acontecer a seguir. Foi o primeiro livro de Dick que li, e aquele que me abriu as portas para todos os outros. Apesar de não ter nenhuma adaptação para o cinema, foi até agora o que eu mais gostei. Vale MUITO a pena!

Ficou Interessado? 


“SE VOCÊ GOSTOU DO CONTEÚDO, COMENTE OU SIGA-NOS NA PÁGINA DO FACEBOOKNO TWITTER OU PELO RSS!!
É MUITO IMPORTANTE PARA NÓS SABER O QUE VOCÊS ESTÃO ACHANDO!


Advertisements

2 thoughts on “Resenha: UBIK – Philip K. Dick

  1. Pingback: Balanço 2013: Lista de Livros Lidos | Livrismos

  2. Pingback: Balanço 2013: Melhores livros do Ano | Livrismos

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s